quarta-feira, 25 de maio de 2016

ESTUDANTES NA LUTA





No início da manhã da última sexta-feira (20/5), os alunos deram as mãos em ato simbólico de proteção à educação e aos Institutos Federais, em especial o Campus do IFRN/SPP.
Decididos a serem protagonistas de um movimento contra o atual cenário político do país, os alunos do IF/SPP não se omitiram diante do que consideram uma ameaça à educação pública federal.
De maneira espontânea, alunos e alunas reuniram-se frente ao prédio central e, unindo as mãos em volta do totem da Instituição, abraçaram o Campus, simbolizando unidade na defesa da educação federal frente ao que consideram 'preocupante conjuntura política nacional'.

Na mesma manhã, pouco tempo mais tarde, durante o período de intervalo os estudantes se reuniram, em sala de aula, para realizarem o manifesto intitulado “Canto à Democracia”, em protesto pela violação dos direitos de expressão de seus professores e resistência a atual conjuntura política do país - posta pelo Movimento Estudantil pela Democracia como golpe. Sentados nas carteiras, com olhos vendados - símbolo de opressão - e garganta a entoar Roda Viva e Cálice de Chico Buarque - símbolo de resistência, como mostra o vídeo abaixo.
A questão da “Doutrinação ideológica” ganhou força quando deputados alagoanos aprovaram o projeto de lei batizado de “Lei da Escola Livre” que proíbe, a nível estadual, os professores de opinarem em sala de aula. Apesar da polêmica e duras críticas, principalmente da classe docente do país, um projeto de lei do mesmo cunho tramita no estado o Estado do Rio Grande do Norte, tendo sido proposto pelo Deputado Federal Rogério Marinho. Segundo o Movimento Estudantil pela Democracia: “O manifesto também se opôs as ameaças à educação federal, e a reorganização das escolas paulistas”. 
 Poucas horas depois, sem ser necessário esforço de divulgação, as gravações do manifesto já ganhavam proporção nas redes sociais, chegando no mesmo dia à Senadora Fátima Bezerra que elogiou a iniciativa: “Comovente! Lindo!";
Fátima é aclamada por muitos como a mãe do IFRM, por sua reconhecida luta pra a implantação dos Campi, a exemplo do IFRN conquistado pelo Território do Potengi. O tema do manifesto, “Ousar Lutar, Ousar Cantar”, foi em homenagem à célebre frase utilizada pela política ao votar, no Senado da República, contra o processo de impeachment: Ousar lutar; ousar vencer!
O vídeo do manifesto já possui mais de 100 mil alcances, somente na rede social “Facebook”, confira:

 Para Everaldo Filho, 17 anos, vanguardista do Movimento Estudantil e discente do curso de Meio Ambiente, "A impavidez e o espírito de luta é o que não pode faltar para conosco no período obscuro a qual estamos inseridos, o espectro do retrocesso nos assombra da maneira mais escandalosa e vil jamais vista antes desde a instauração da nossa juvenil ordem democrática. [...]”Não vamos cessar! Vai ter luta! ”.
O Movimento Estudantil pela Democracia (MED) aproveitou para anunciar a próxima manifestação, por eles organizada, em protesto pacífico contra a conjuntura política do país, dita pelo Movimento como “Violação ao Estado democrático”: o movimento ocorrerá em 1º  de junho, após às 16h, na praça do Bairro Novo Juremal e seguirá nas ruas da cidade de São Paulo do Potengi até a concentração, na Praça Monsenhor Expedito – Centro.

Por Antônio Patric, integrante do 
Movimento Estudantil pela Democracia (MED)

Nenhum comentário:

Postar um comentário